13.1.06

Magnólias no Verão passado


Magnólias em canteiro com petúnias e Estátua de homenagem ao "Ardina . do Porto" (ca 1990 cf), obra do escultor Manuel Dias
Supomos -pela consulta do projecto- que afinal as magnólias em frente à Igreja dos Congregados não estão condenadas e vão ter licença para florir. (Supomos porque informação clara e respeitadora é coisa que não existe neste triste processo, e nada nos afiança que resolvam mudar). Dos canteiros é que não se vê rasto no dito plano, mas isso não foi surpresa nenhuma: os arquitectos já tinham avisado que iriam eliminar os "canteiros e canteirinhos". Estes e todos os outros da Praça e da Avenida.
Numa cidade com um dos melhores viveiros municipais do País e com uma tradição da arte floral que importaria acalentar e dar a conhecer, a erradicação de umas das suas zonas ajardinadas mais emblemáticas confirma o que não aceitamos e contestamos: Os arquitectos estão a adaptar os Aliados ao projecto deles e não o contrário!

3 Comments:

Anonymous Francisco Rocha Antunes said...

A arte floral deveria ser um dos factores distintivos do urbanismo desta cidade. Aposto que daqui a 20 anos todos os arquitectos "vanguardistas" vão falar na recuperação desta tradição do Porto.

13/1/06 10:05  
Anonymous Anónimo said...

Quem é o autor da estátua do ardina? Alguém sabe?

13/1/06 10:32  
Anonymous Anónimo said...

Eh pá e aquele marco de correio VERMELHO -essa mancha de cor (a)berrante- vão-no lá deixar? E onde se vai apoiar o ardina?
Tripeiro inconformado

13/1/06 11:47  

Enviar um comentário

Links to this post:

Criar uma hiperligação

<< Home