10.1.06

Notícias do terramoto do Porto

Manuel António Pina - no JN, 9 de Janeiro, segunda-feira

«Enquanto no Tribunal Administrativo continuam em apreciação as providências
cautelares apresentadas por cidadãos e associações cívicas, na Praça Humberto
Delgado, Avenida dos Aliados e Praça da Liberdade
repetem-se as réplicas do
devastador Terramoto do Porto de 2005. Era o que faltava ao Porto para poder
rivalizar com Lisboa também na desgraça: um terramoto.

Com epicentro no gabinete de arquitectura de Siza e grau 4 milhões e uns trocos na escala
financeira da Metro, S.A., de modo a evitar os incómodos de uma avaliação do
impacto ambiental, o Terramoto do Porto já dura há quase um ano (o de Lisboa só
durou uns minutos...).

Velentim Loureiro/Oliveira Marques (Metro, S.A.), Rui Rio (Câmara), Elíso
Summavielle/Lino Dias (IPPAR) e Siza Vieira /Souto Moura, mesmo sem os recursos
de que dispôs a Divina Providência há 300 anos em Lisboa, conseguiram, com pouco
mais do que meia dúzia de retroescavadoras e meia dúzia de violações da lei,
"mais do que prometia a força humana": o coração histórico do Porto, esventrado
e mutilado, já mal bate
. Se os portuenses fossem agradecidos, deveriam pôr o
nome dos sete magníficos aos "Champs Elysées" à moda do Porto que Siza imaginou
para "recuperar a ordem perdida" do centro da cidade...»

2 Comments:

Anonymous Anónimo said...

Até nisso os lisboetas tiveram mais sorte: tiveram o Marquês de Pombal. Nós, além de uma catástrofe «provocada», estamos longe, muito longe de termos um Marquês de Pombal. Triste sina a dos que têm de suportar a incultura. Não só nos arranjam mamarrachos pagos a peso d'ouro, mas ainda por cima arrasam o que há de bom. É angustiante... Se mesmo a grande distância isto «mexe connosco», imagino para quem o sente de perto todos os dias!

Nunca me cansarei de agradecer a sua luta, Manuela, em meu nome e em nome de todos aqueles que sofrem com a situação mas que já não têm voz para gritar a sua angústia.

M.R.L., Toronto, Canadá

12/1/06 23:27  
Blogger manueladlramos said...

Carissima MRL - obrigada pelos seus comentarios mas queria veementemente aqui deixar de novo referido que a luta NÃO é minha o que é por demais evidente! Eu apenas sou um os editores do blogue cujo conteúdo resulta do empenho de TODOS (MRL inclusive ;-) os que têm dado um pouco do seu tempo a esta causa! E não são poucos! Abraço

13/1/06 11:41  

Enviar um comentário

Links to this post:

Criar uma hiperligação

<< Home